De Uber a Nubank: as empresas que valem bilhões, mas nunca registraram lucro

Elas atuam nos mais diferentes setores, mas têm, em geral, duas características em comum: uma premissa inovadora e injeção generosa de capital de investidores que acreditam que a ideia pode dar certo.
15/11/2017 01/10/2019 10:43 329 visualizações

Lucro ou prejuízo. A última linha da Demonstração de Resultados do Exercício (DRE) das empresas traz um dos números mais repercutidos entre os analistas de mercado quando as companhias abertas divulgam seu desempenho a cada fim de trimestre.

Ela calibra projeções de curto ou médio prazo para as operações e é um indicador da saúde financeira do negócio.

Para algumas empresas, entretanto, a lógica é outra. Algumas companhias avaliadas em milhões (ou bilhões) de dólares nunca reportaram lucro. A lista está cheia de nomes conhecidos: Uber, a gigante de compartilhamento de escritórios WeWork, a Tesla, que já ficou alguns trimestres no azul, mas não um ano fiscal inteiro – situação parecida à do serviço de streaming de música Spotify. O microblog Twitter registrou a primeira sequência de quatro trimestres de lucro em outubro do ano passado, mais de uma década depois de criado.

Entre as brasileiras há o Nubank – também membro do clube de "unicórnios" do país, companhias que valem mais um bilhão de dólares.

Lá fora, algumas chegam a ir para a bolsa no vermelho. Um levantamento do professor da Universidade da Flórida Jay Ritter apontou que 81% dos 134 IPOs ("Initial Public Offering" ou oferta pública de ações) realizados nos Estados Unidos em 2018 foram de companhias que registraram prejuízo nos 12 meses anteriores à abertura do capital.